Em conversa com Paulino Pereira

Paulino Pereira

RIDER PROFILE 

Nome: Paulino Pereira

Data de nascimento: 5 de Junho de 1990

Local: Funchal, Portugal

Anos de Kite: 12

Patrocínios: Ozone Kites, Xenon Boards, Still Produções e Underwave

Título: 3º GKA Wave e Strapless tour 2016

paulino10

Após terminarem as competições deste ano falámos com o nosso rider Português Paulino Pereira.

Foi um ano extremamente positivo para o Paulino. O seu objectivo era ficar no top 5, mas acabou por ficar no pódio em todas as provas, em que participou, terminando o ano com um espectacular 3º Lugar mundial.

 

paulino pereira

Tarifa foi a prova que mais gostou de participar. Não só pelo vento Ponente, parecido ao nosso vento da Costa da Caparica mas também por todo o apoio que teve de amigos presentes na prova.

Sair da água e receber abraços dos meus amigos é algo muito especial, principalmente quanto vamos contra os melhores do mundo.

 

13590393_1070426889708804_4112573465807325781_n

Foi nas Maurícias que encontrou as melhores condições. Não só por haver vento todos os dias para o seu kite de 8m e ondas com água quente e cristalina, mas também, pela própria qualidade de vida que esta ilha tem.

Infelizmente a competição não é só feita de momentos positivos.

Foi neste última etapa de Marrocos, que o azar estava instalado.

Na verdade a viagem parecia que tinha tudo para correr mal. No primeiro dia roubaram me a mala dos kites no transporte para o hotel. Não pude treinar nos 3 dias seguintes por não ter kites Ozone. Felizmente o meu amigo Rui Meira conseguiu trazer-me novos kites de Portugal um dia antes da prova.”

14705873_1155687967849362_8258936555071888079_n Nesses dias em que não conseguiu treinar, alugou uma carrinha que, também, se avariou causando um momento muito intenso com os locais. Conseguiu sair por cima mas nada lhe corria bem.

Já durante a prova, antes do heat 3, o Paulino foi treinar umas manobras aéreas, no qual estalou a prancha mas sem se aperceber.

Depois, durante o heat não estava a conseguir executar as manobras da mesma forma, e estava a cair imenso. Deparei comigo revoltado, sem perceber o que se passava com a minha performance. No fim do heat senti que tinha perdido, mas por grande sorte ganhei por 0.1 pontos. Foi um abre olhos! Troquei de prancha e voltei em altas!

Em relação a pranchas partidas, não anda a querer bater nenhum record! O feeling da competição elimina qualquer medo de arriscar.

Começo a fazer de tudo para conseguir impressionar os juízes… Mas alguém tem de pagar por isso… que seja a prancha e não os meus joelhos….

paulino pereira

Em termos da organização das provas pelo GKA, considera que começou muito bem. Poderiam melhorar em aspectos como Live Streaming das provas, de forma a que todas as pessoas possam acompanhar em casa. Melhorar nos vídeos diários, é outra das suas propostas para além de aumentar o Prize Money das provas, que ajudaria muito os atletas como o Paulino que não são atletas profissionais a Full Time.

Ao trabalhar na Força Aérea Portuguesa como mecânico de aviões é difícil conseguir conciliar os treinos como desejaria.

Para provas e eventos em que eu vou representar Portugal, o IDPJ pede uma licença especial para ser dispensado no trabalho. O que é mais difícil é gerir os treinos. Por vezes, tenho folga durante a semana e consigo treinar. Mas normalmente, só consigo treinar ao fim de semana e após sair do trabalho, no horário de verão.

paulino pereira

A preparação para e entre provas passa por praticar kite o mais possível e complementar com surf, o que ajuda muito a manter o físico e a treinar o flow nas ondas. A prática de Freestyle complementa em muito a de strapless. Com a parte técnica trabalhada no freestyle, ao passar para o strapless consegue manter o foco mais na prancha. Consegue-se ver esta combinação pela sua manobra favorita, o 313. É uma das manobras que evoluiu do Freestyle para o strapless. Novas ideias para manobras não lhe faltam… Venha o tempo e vento para treinar!

 paulino pereira

Antes da época de competições, o Paulino sofreu uma lesão no joelho tendo conseguido recuperar quase a 100%, no entanto, quando pratica Freestyle, ou quando passa muitas horas dentro de água, acaba por sentir alguma fragilidade. A sua recuperação foi graças a 2 meses de total repouso e fisioterapia. Assim que teve “alta”, para ir para dentro de água, a joalheira CTI foi uma grande ajuda para uma recuperação mais rápida.

Paulino passa os seus dias como a maioria dos kitesurfistas

Ver as previsões, ver a webcam, sair do trabalho e arrancar para o melhor spot! Hahaha

14606247_1158370800914412_4407925883823650845_n

Procura os seus locais preferidos, difícil de escolher porque Portugal tem uma Costa excelente.

O meu favorito para ondas é a Ericeira. Para Freestyle strapless é a costa da Caparica e Freestyle twintip é em Setúbal e Lagoa de Albufeira.

Nós no In SaltyWater só temos que desejar boa sorte para os próximos eventos e obrigada pela colaboração. Aproveita este momento muito bom na tua carreira e no futuro melhores virão!!

Do want you Love

https://www.youtube.com/watch?v=VOdkJJoAM78

Deixe uma resposta